Notícias

Internacionalização e intercâmbio são temas de discussões no Conecta 2019

publicado: 28/08/2019 16h28, última modificação: 28/08/2019 16h28
WhatsApp Image 2019-08-28 at 10.22.32 (1).jpeg

Alunos que fizeram intercâmbio em diversos países reuniram-se no anfiteatro do Campus Brasília, na manhã desta quarta-feira (28), para trocarem experiências e sugestões sobre como funciona estudar no exterior. Discentes interessados em passar uma temporada adquirindo conhecimento fora do país também falaram sobre as suas expectativas e fizeram perguntas aos intercambistas, que vieram do Canadá, Berlim e Portugal.

O bate-papo intitulado “Intercâmbio estudantil: experiências e expectativas” contou com a participação de estudantes do ensino médio e superior. Hyurathan Soares, que cursa Licenciatura em Dança no Campus Brasília, passou 1 ano e meio em Berlim, na Alemanha, na escola “Staatlich Balletschule”, e relata que o segredo para se dar bem em terras estrangeiras é perder o medo de errar. “Estar em uma terra diferente causa estranhamento mesmo; então recomendo que aproveitem a experiência e ouçam mais do que falem no início, assim você vai aprendendo os detalhes da língua”, detalhou.

Além disso, ele lembrou a importância de se preparar com antecedência para concorrer aos processos seletivos de intercâmbio que sempre estão surgindo. “Não deixe pra aprender inglês, por exemplo, de última hora. Faça um cursinho agora, seu passaporte também, porque normalmente o prazo para reunir documentos é curto”, opinou. O discente acredita que é um orgulho estudar fora e depois retornar ao país e falar sobre o que foi aprendido, ajudando outras pessoas.

A imersão em uma nova cultura é enriquecedora, e as sutilezas da língua assim como a cultura são aprendidas apenas quando se passa um tempo no país novo; por isso os intercambistas relataram diversas dificuldades de entendimento com o povo, conflitos de palavras que possuem um significado diferente no Brasil e inúmeras situações constrangedoras. “Dificuldades de todo tipo são bem comuns; então, o segredo é não ter medo, encarar o novo desafio de forma aberta”, disse o servidor do IFB Anderson Galvão, que também passou 1 ano morando no Canadá em 2017.

Mais discussões

Ainda nesta quarta, está programada a realização de um workshop sobre internacionalização e exames de proficiência em inglês – TOIEC Bridge, na sala 108 do bloco A do Campus Brasília, às 14h. Diretores, professores e demais profissionais do ensino devem participar da atividade, ministrada por Sandra Yokota, coordenadora pedagógica e de treinamento da Mastertest Certificação Internacional, distribuidora exclusiva dos testes TOEIC e TOEFL ITP da ETS.

workshop de TOEIC Bridge pretende esclarecer e enfatizar a importância de um programa de internacionalização para o desenvolvimento institucional. Além do TOEIC Bridge, outros testes do idioma inglês serão abordados e comparados, para que cada público preste o teste de proficiência correto, de acordo com o objetivo almejado. 

Já na quinta, o tema será abordado pela Embaixada da Austrália em Brasília em um segundo workshop, desta vez sobre “Internacionalização em Casa: O Modelo Australiano de Internacionalização do Currículo e sua Aplicação no Contexto Brasileiro”.  Mathew Johnston (Conselheiro de Ciência e Educação do Governo daAustrália), Carla Camargo Cassol (Pesquisadora-Doutoranda na Universidade de Curtin e PUCRS, Coordenadora de Internacionalização na PUCRS) e Cristina Elsner de Faria (Gerente de Educação do Governo da Austrália) são os palestrantes da atividade.

workshop acontece na quinta, dia 29 de agosto, às 9h, na sala 211 do Bloco A do Campus Brasília.